sabedoriaLeia Jó 28:1-28

Permita que eu ofereça uma definição simples de sabedoria. Sabedoria é olhar para a vida do ponto de vista de Deus. Quando empregamos a sabedoria estamos vendo a vida como Deus a vê. É por isso que é tão importante pensar os pensamentos de Deus. Você olha para as dificuldades e provações como Deus olha para elas. Olha para a vida familiar e para a criação de filhos como Deus as vê. Interpreta os eventos correntes como Deus os interpretaria. Concentra-se na visão a longo prazo. Vê a verdade, embora ao seu redor tudo seja engano e mentiras.

Vamos avançar um pouco mais e definir outro termo bíblico: compreensão. O que significa? Compreender é reagir às dificuldades e desafios da vida como Deus quer que reajamos. Não em pânico e confusão. Não deixando de lado as coisas preciosas para nós, nem comprometendo nossa integridade. Em vez disso, quando temos compreensão, reagimos aos desafios da vida como Deus quer que reajamos. Confiamos nele. Cremos nele. Recusamos ter medo. Não vivemos segundo impulsos humanos ou de acordo com a cultura politicamente correta de hoje.

Como é importante que nos mantenhamos firmes na sabedoria, reagindo com entendimento! Nenhuma dessas coisas pode ser obtida por esforço próprio ou como resultado da nossa busca. Deus provê ambas, graciosamente. O versículo 20 faz duas perguntas importantes:

"De onde vem, então, a sabedoria? Onde habita o entendimento?".

Não se trata de onde podemos obter conselho. Nem de onde vem a opinião. Eu poderia citar várias fontes, mas a maioria delas não vale o trabalho de ouvir. De onde, então, vem essa sabedoria? Onde podemos encontrar o verdadeiro entendimento?

Você pode receber vários doutorados e jamais conseguir sabedoria ou entendimento. Com certeza não vai ter uma ideia do temor do Senhor nesse seu aprendizado. Mesmo nas melhores universidades não existe um curso sobre o temor do Senhor. A fonte? Deus e só Deus. Por "temor do Senhor" estou me referindo a um respeito enorme por Deus, acompanhado de ódio pessoal pelo pecado. Podemos ver agora por que Salomão escreveu:

"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é entendimento" (Provérbios 9:10).

 

Charles R. Swindoll

 

verdade biblia"Antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós" (1 Pedro 3:15).

"A razão da esperança que há em nós". 
Devemos estar preparados para defender nossa fé. 

Por que cremos no que cremos? 
Cada um, individualmente, deve conhecer as razões por que crê no evangelho. 
Precisamos conhecer a palavra de Deus. 

Paulo diz em Filipenses 1:7"pois todos vós sois participantes comigo da graça, tanto nas minhas prisões como na defesa e confirmação do evangelho". 
Paulo nos chama a uma defesa. 
Nossa fé não é um salto no escuro, ela é baseada em fatos e é minha responsabilidade mostrar que a Bíblia é verdadeira.
Defender que a Bíblia é a palavra de Deus e que foi plenamente inspirada por Deus de forma verbal, que ela no seu texto original não contém erros, não vai só nos levar a defender, mas também a viver com convicção a palavra de Deus. 

Se a Bíblia não é autoridade máxima para que eu a defenda, então ela também não será autoridade máxima para que eu viva o que está contido nesse livro. 
Assim, ao termos plena convicção de que a Bíblia é a verdade, ao sabermos porque cremos no Evangelho, seremos provas vivas do poder dessa mensagem de salvação.

 

Pr. Leandro Tarrataca

 

juntos nissoFalando à igreja, Jesus não decretou responsabilidades individuais.

Ele disse "Vocês" – todos vocês, coletivamente – "serão minhas testemunhas." (Atos 1:8 NVI).

Jesus opera em comunidade. Por isso você não encontra pronomes pessoais na descrição mais antiga da igreja em Atos. "Todos os que creram se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações… Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum… Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração" (Atos 2:42-46 NVI).

O retrato só contém substantivos e pronomes plurais. Nenhum "eu" ou "meu" ou "você". Estamos nisso juntos. "Ele é a cabeça do corpo, que é a igreja" (Colossenses 1:18). Eu não sou o corpo, você não é o corpo. Nós – juntos – somos o corpo!

 

Max Lucado

 

dependentes de Deus"Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia; porquanto tu foste o meu alto refúgio, e proteção no dia da minha angústia" (Salmo 59:16).

Na oração do Pai Nosso Jesus diz assim: "Pai nosso que estás no céu, venha o teu reino, seja feita a tua vontade". 
O reino de Deus, do ponto de vista geral, é a sociedade onde a vontade de Deus é totalmente realizada. 

Creio que no futuro haverá uma manifestação histórica do reino de Deus, acredito que Cristo virá e reinará como o Messias prometido. 
Hoje fazemos a vontade de Deus à medida que entendemos nossa fraqueza, nossa pobreza de espírito, nossa ignorância, e que pode nos faltar tudo na vida, mas não nos pode faltar Deus. 
Este é o perfil daquele que é sujeito do reino, daquele que é cidadão do reino.

Em resumo, somos dependentes de Deus e, por isso, devemos fazer a Sua vontade. 
Quem depende de Deus reconhece sua limitação e sua carência da manutenção divina em sua vida. 
Em outras palavras, nós precisamos nos esvaziar primeiro para que possamos ser cheios da graça de Deus.

Em 2 Coríntios 3:5 encontramos um texto muito interessante que o apóstolo Paulo escreveu inspirado pelo Espírito Santo. 
"A nossa capacidade vem de Deus". 
Lembre-se disso: não são os seus talentos, não é a sua capacidade, nossa suficiência vem de Deus.

 

Pr. Leandro Tarrataca

 

decisao"Depois vocês atravessaram o Jordão e chegaram a Jericó. Os chefes de Jericó lutaram contra vocês, assim como os amorreus, os ferezeus, os cananeus, os hititas, os girgaseus, os heveus e os jebuseus, mas eu os entreguei nas mãos de vocês. Eu lhes causei pânico para expulsá-los de diante de vocês, como fiz aos dois reis amorreus. Não foi a espada e o arco que lhes deram a vitória. Foi assim que lhes dei uma terra que vocês não cultivaram e cidades que vocês não construíram. Nelas vocês moram, e comem de vinhas e olivais que não plantaram". (Josué 24:11-13)

Deus já tinha feito tudo. Mas havia ainda uma coisa, o fator principal, que ele deixou aos cuidados deles, uma coisa que consolidaria ou arrasaria o futuro deles. Sabe o que é? Eles tinham liberdade de decidir por si mesmos. Josué afirma isso:

"Agora temam o Senhor e sirvam-no com integridade e fidelidade. Joguem fora os deuses que os seus antepassados adoraram além do Eufrates e no Egito, e sirvam ao Senhor. Se, porém, não lhes agrada servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor". (Josué 24:14-15)

Ninguém adquire retidão pessoal só porque outro o exigiu e ordenou. Não podemos ser obedientes por lei. Ninguém pode obrigar outros a serem espirituais. Ninguém leva uma vida santa atendendo a advertência e ameaças. Essas coisas brotam de nosso coração, resultando diretamente de uma decisão pessoal de cada um de nós.

As pessoas reagem melhor a exemplos pessoais do que a exigências verbais. Elas se sentem muito mais incentivadas por exemplos, como o método de liderança de Josué ('Eu e a minha casa serviremos ao Senhor, mas vocês terão que decidir por si mesmos') do que pelos gritos e ameaças de fogo e enxofre empregados por certos líderes.

 

Charles R. Swindoll

 

Vão ao mundo inteiro e anunciem as boas-novas a todos.